Atletas do Sesi-SP brilham nos Jogos Parapan-americanos de Lima 2019

Durante dez dias de competições, foram 17 convocados e 17 medalhas

 Por: Amanda Demétrio, Núcleo de Comunicação
02/09/201909:24- atualizado às 11:57 em 02/09/2019

O desempenho dos atletas do Sesi-SP é sempre muito expressivo dentro do cenário esportivo nacional e internacional. E mais uma vez a equipe da indústria paulista foi destaque nos Jogos Parapan-americanos de Lima, no Peru. Contando com o maior número de convocados entre os clubes brasileiros, com 17 nomes, a instituição teve grande colaboração na conquista da melhor campanha do Brasil no torneio, e seus atletas retornam para casa com 17 medalhas, sendo 12 de ouro e 5 de prata em quatro modalidades.

Chegando ao fim neste domingo, 1º de setembro, o Parapan-americano contou com a melhor performance do Brasil nesta competição nos últimos tempos. Com a marca de 308 medalhas, sendo 124 de ouro, 99 de prata e 85 de bronze, o país garantiu não só a primeira colocação no quadro geral com duas vezes mais ouros que os Estados Unidos, que ficaram com a segunda posição, como superou a maior marca da história, a campanha do México em 1999, com 307 conquistas.

Os nomes do Sesi-SP começaram a brilhar desde o início da disputa dos Jogos. Com nove nomes da indústria, as seleções masculina e feminina de vôlei sentado do Brasil fizeram bonito e ficaram com as medalhas de ouro e prata, respectivamente. Daniel Yoshizawa, Wellington Platini, Renato Leite, Leandro Santos e Fabricio da Silva formaram a equipe que levou a seleção até o ouro ao superar os Estados Unidos na final por 3 sets a 0 (25/18, 25/22 e 25/12).

No grupo feminino, Nathalie Silva, Edwarda Dias, Gizele Costa e Laiana Rodrigues foram os nomes do Sesi-SP na briga pelo título. Com uma disputa um pouco mais acirrada e difícil, o Brasil acabou superado pelos Estados Unidos por 3 sets a 0 (25/16, 25/19 e 25/13) e garantiu a prata. O país chegou na soma de três pratas em Jogos Parapan-americanos com as conquistas em Toronto 2015 e Mar del Plata 2003.

No goalball, segunda modalidade do Sesi-SP com o maior número de atletas convocados, mais medalhas de ouro para o Brasil. Superando as seleções do Canadá, Costa Rica, Peru e México, perdendo apenas para os Estados Unidos na fase classificatória, o grupo feminino, que contou com as meninas da indústria, Ana Gabriely, Gleyse Portioli e Victoria Amorim, voltaram a brilhar na final. Ao reencontrarem as americanas, as brasileiras não se deixaram levar pelo revés passado e com o placar de 4 a 3 subiram no lugar mais alto do pódio.

Na disputa do grupo masculino, Josemarcio, também atleta do Sesi-SP, foi uma das peças importantes do Brasil na conquista do ouro. Ao superar as seleções da Argentina, México, Guatemala, Peri e Venezuela, o Brasil também encontrou os Estados Unidos na disputa da grande final, e assim como as meninas, fizeram bonito. Com o placar de 12 a 9, a seleção verde e amarela garantiu mais um título para o país.

Rogério Junior, estreante em Jogos Parapan-americanos fez bonito no parabadminton e também retorna para casa com sua medalha. Após vencer o Canadá, a Venezuela e o Peru por 2 a 0 em cada jogo, o jovem chegou para a disputa da grande final contra o atleta da Guatemala. Na decisão mais um placar de 2 a 0, porém agora para o país adversário, mas o brasileiro garantiu seu lugar no pódio ficando com a medalha de prata.

Nomes expressivos na bocha paralímpica, Evelyn Oliveira e Antonio Leme mantiveram a força e garantiram mais ouros para o país. Na categoria individual BC3, Evelyn passou pelos atletas do Chile, Estados Unidos, Colômbia e até mesmo um conterrâneo brasileiro e chegou na grande final contra o colombiano Jesus Romero. Com o placar de 3 a 1, a brasileira ficou com o ouro. Parceiro de equipe, Antonio Leme passou pelo Peru e Colômbia, mas na sequência sofreu um revés para o brasileiro Matheus Carvalho e não conseguiu seguir para as finais do individual.

Na categoria pares BC3, a dupla do Sesi-SP voltou a brilhar. Venceram o primeiro jogo contra a Colômbia por 4 a 3 e passaram pela Argentina por 6 a 2. Na disputa da final, Evelyn e Antonio, o Tó, superaram a dupla do Canadá por 4 a 3 e subiram no lugar mais alto do pódio, garantindo mais um ouro.

Com um saldo de 11 atletas do Sesi-SP com medalhas de ouro e 5 com a prata, a instituição ainda teve a participação do Lucas Lima na disputa dos 100 e 400 metros no atletismo. Mesmo sem brigar por medalhas, a jovem revelação da modalidade garantiu um expressivo 6º lugar nas provas e volta para casa com uma bagagem de experiências e aprimoramento para o desenvolvimento de sua carreira.

Leia também